A INFLUÊNCIA DO MELODRAMA POP NA TRILOGIA HISTÓRICA DE QUENTIN TARANTINO: “BASTARDOS INGLÓRIOS” (2009), “DJANGO LIVRE” (2012) E “OS OITO ODIADOS” (2015)

Carolina de Oliveira Silva

Resumo


Este artigo discute os três últimos filmes de Quentin Tarantino sobre a perspectiva da recuperação histórica autoral: "Bastardos Inglórios" (Inlgourious Basterds, 2009), "Django Livre" (Django Unchained, 2012) e "Os Oito Odiados" (The Hateful Eight, 2015) têm como pano de fundo para as suas tramas a II Guerra Mundial e a Guerra Civil Americana. A temática da vingança retoma algumas das premissas clássicas do melodrama, ainda que ligeiramente modificadas: a luta entre o bem e o mal, o amor e o ódio, a família e a moralidade – encabeçadas principalmente pelas personagens femininas. A partir das relações entre o melodrama clássico, o melodrama romântico e a hibridação característica do cineasta norte-americano, pretende-se desenvolver uma análise que estabeleça elementos melodramáticos nos filmes que obedecem a uma lógica moral do universo criminoso criado por Tarantino, ainda que não possamos classificá-los como filmes do gênero melodramático.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.