O ESPAÇO SONORO DO BLUES NO CINEMA

Daniel P. Carrijo Dória

Resumo


Partindo da premissa de que a trilha sonora seria uma instância discursiva dotada de potencialidades que agregam valor semântico à obra cinematográfica, esta comunicação pretende analisar algumas construções de sentido narrativo em certas obras a partir do espaço sonoro que as mesmas estabelecem comparando tratamento empreendido em dois filmes já analisados anteriormente nessa pesquisa: Cadillac Records (2008) e Honeydripper (2007). O objetivo é analisar a construção de sentido e de territorialização sonora nos dois filmes que caracterizam as duas regiões mais comumente associadas à gênese e desenvolvimento do blues estadunidense: o delta do rio Mississippi e a cidade nortista de Chicago, contrastadas a partir do tratamento sonoro e musical.

Palavras-chave: blues, soundscape, lugar de memória, territorialização, autenticidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.