FEMALE BIOPIC IN SOFIA COPPOLA'S MARIE ANTOINETTE

Marcia Tiemy Morita Kawamoto

Resumo


Abstract: Sofia Coppola’s Marie Antoinette (2006) constitutes a biographical portrayal of the homonymous young French queen. Nevertheless, the film challenges a realistic view, and favours a “personal style in historical representation” (COOK, 2014, p. 214). This paper analyses how the contrast between the notions of excess and naturalness present in the construction of this female biopic, as defined by Dennis Bingham (2010), point to criticisms in consumerism and alienation. In this way, the ideas of personal style and female biopic contribute to the construction of a historical representation which dialogues more with the contemporary audience than the decapitated French queen.    

Key-words: Female Biopic; Marie Antoinette; Historical Film.

 

Resumo: Maria Antoinette (2006) de Sofia Coppola constitui um retrato biográfico da homônima e jovem rainha francesa. No entanto, o filme desafia uma visão realística, e favorece um “estilo pessoal em representação histórica” (COOK, 2014, p.214). Esse artigo analisa como o contraste entre a noção de excesso e naturalidade presentes na construção dessa biopic feminina, como definida por Dennis Bingham (2010), apontam para uma crítica sobre consumismo e alienação. Dessa forma, as ideias de estilo pessoal e biopic feminina contribuem para a construção de uma representação história que dialoga mais com a audiência contemporânea do que a rainha francesa decapitada.

Palavras-Chave: Biopic feminina; Marie Antoinette; Filme Histórico. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.