STALKER, A ZONA ONÍRICA METAFÍSICA DE TARKOVSKY

Raphael Dorsa Neto

Resumo


Por intermédio de um estudo qualitativo realizado mediante variadas fontes, escritas e audiovisuais, pesquisou-se o cinema autoral de AndreiArsenyevich Tarkovsky, cineasta soviético de origem russa que, com seu cinema pessoal, subverteu métodos da indústria cinematográfica, tendo criado trabalhos que ainda hoje provocam no espectador diversos sentimentos, misturando os efeitos dos gêneros cinematográficos sobre o público. O artigo faz a análise fílmica de Stalker e se subdivide da seguinte forma: ao início faz uma abordagem sobre as características do cinema de autor, um rápido panorama sobre Tarkovsky e sobre o que é o gênero no cinema. Segue a abordagem sobre o drama na visão tarkovskyana e o papel do cinema como arte, como um agente transformador da visão de mundo do espectador. Por fim, e também ao longo do texto, a análise fílmica propriamente dita de Stalker, que em 2019 completa quarenta anos de seu lançamento, talvez o filme mais metafísico de Tarkovsky.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.