CURTAS MUSICAIS - CINEMA, VIDEOCLIPE E SEUS ENTRECRUZAMENTOS

Rodrigo Oliva

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão sobre a categoria audiovisual dos curtas musicais e suas  articulações de linguagem que enfrentam o cinema e o videoclipe. A partir de uma análise do curta  musical Anima, do diretor Paul Thomas Anderson, discute-se pontuações teóricas de Jean Epstein  sobre as poéticas do ritmo cinematográfico, evidenciando um local de aproximação com as teorias  da arqueologia do cinema e do corpo como potências de representação. Nos espaços da linguagem  do videoclipe, discute-se o conceito de narrativas que se dilatam a partir da articulação do tempo  fílmico e direcionam o olhar para clipes de longa duração.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.