A PROVA ESCRITA DOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR

Rogério Rodrigues

Resumo


O objetivo deste ensaio é apresentar uma análise crítica do filme intitulado “Prova Escrita”, dirigido por Luís Gustavo Ferraz (2020). O filme trata-se de um documentário referente à atividade da coordenadora pedagógica Janaina Barros, que atua numa escola pública no município de Seabra, na Bahia. Nessa escola ocorre uma alta taxa evasão escolar durante o ano letivo, em que quase 40% dos alunos matriculados no inicio do ano letivo não chegam a concluir os estudos até o final do ano. Para compreender essa ocorrência, a coordenadora busca investigar os motivos da evasão escolar, pois não aceita que isso seja algo natural. Para tanto, ela busca algum sinal do problema escolar nos escritos e rabiscos nas mesas dos alunos em sala de aula e nas portas dos banheiros. Para a coordenadora da escola, esses riscos e rabiscos podem se constituir na “prova escrita” daquilo que faz com que os alunos abandonem a escola. Portanto, ela se propõe na escuta silenciosa dos alunos, no sentido de identificar suas dificuldades como sujeitos envolvidos em problemas sociais. Através dessa intervenção de escuta, a referida escola reduziu pela metade o número de alunos que abandonam os estudos. Podemos concluir que uma educação de qualidade passa pela implicância dos sujeitos que se encontram presentes no espaço escolar, numa relação de troca que pode se apresentar na cumplicidade entre os sujeitos, o aprender e o ensinar.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.